segunda-feira, 30 de abril de 2007

Curta "Deu Ímpar"






Através de conflitos banais de um casal de adolescentes, o “Deu Ímpar” alegoriza, com um humor leve, a relação amorosa de uma dupla no auge da juventude. Ele, com seu tênis surrado, bermuda caída e bola de basquete, mostra o universo masculino, de objetividade, rudez e, certas vezes, de ignorância.
Ela, com sua bolsa e celular cor de rosa, mostra o mundinho púrpura das meninas que acham que a vida é um conto de fadas. Mas o que realmente une esse casal? Além das diferenças, algo superior atrela essa relação, pois ambos carregam em si o aspecto atoleimado e pândego da infância. Um se acha mais maduro do que o outro ao ponto de o término do “longo” relacionamento se dar de uma forma inusitada.
As personagens não possuem nomes intitulados, pois são o esteriótipo de diversos casais da atualidade, podendo qualquer jovem, ao assistir, se identificar com várias características que, de início, são extremamente vitais, mas, na maioria das vezes, são fúteis ao ponto de levar qualquer um a refletir acerca dessas situações.
Com agilidade e fragmentação, o interior das personagens é representado por meio de cortes com imagens externas bastante presentes. Por fora, a carapaça mostra uma coisa, por dentro, as lamúrias daquele momento são concebidas com flashes concretos de exprimem suas “angústias”.
O maior propósito do “Deu Ímpar” é causar reflexão acerca dos relacionamentos amorosos juvenis da atualidade, além de fazer rir e de satirizar, mas nunca condenar as situações ocorridas.


Com Natália Régea e Danilo Castro, direção de Vinícius Girão.

Vila das Artes - Prefeitura de Fortaleza


Um comentário:

chrysbraida disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.