sábado, 21 de março de 2009

Cai-no-Poço


As sobras da criança que mora em mim, hoje se inquietou a perguntar onde é o fim do poço. Pobrezinha caiu lá dentro de tanto em redor brincar. E afunda como uma moeda graúda carregada de desejo. O estranho é vê-la afudando sem nem mesmo sufocar. E é porque a água invade suas entranhas como quando um navio a naufragar. A água veio sem pedir licença e está a muito bem se instalar, dentro do corpo do menino que até já aprendeu a nadar, mas, por enquanto, continua imóvel, despencando por além das águas que se pode imaginar.


Danilo Castro
04.03.2009

6 comentários:

Aspone disse...

Gostei cara, mas achei estranho, prq me fez lembrar daquele filme que tem uma guria que sai molhada da televisão pra matar a galera, que morreu dentro de um poço. "O Chamado" se eu não me engano.

Passe em casa
www.teuculazarento.blogspot.com

Wânyffer Monteiro disse...

Belo textículo. E eu q nem sei nadar XD

Poly Jomasi disse...

nossa que profundo ( sakou?) rsrsr ei eu não tinha visto a rapadura ainda não e me paixonei por vcs 3 ( mais do que ja tava ner) dava vontade de pular no palco e acoxar tudim rsrsr bju maninhu! té os ensáios!

Talita Fernandes disse...

Interessantes palavras caro amigo.

moça disse...

ei, esse livro do Sartre é massa!

e com relação a foto do texto... eu também lembrei do filme o chamado...
deixa o menino despencar, se ele sabe nadar não vai se afogar muito menos sufocar,pois vai conseguir naufragar com o desego a realizar!
bom texto crionça!
:*

_Lorypop_ disse...

você podia dar uma corda pra ele sair não é?
=D