sexta-feira, 28 de maio de 2010

A Saga Marcelo Tas

Tudo começou quando soube que Marcelo Tas no dia 20 de maio estaria numa universidade particular em Fortaleza para uma palestra. Aquela seria a minha oportunidade de conhecer uma das figuras mais polivalentes da mídia brasileira, mas, compromissos artísticos me impediram de comparecer ao evento. Entretanto, a NOIX foi aprovada no Congresso InfoBrasil 2010 e neste mesmo congresso que ocorreria na semana seguinte, no dia 27 de maio, hoje, o Marcelo Tas marcaria presença com sua palestra de outrora.

Ontem arregalei os olhos e percebi que minha sede de estagiário aumentou quando surgiu a ideia: entrevistar Marcelo Tas. Revirei a noite estudando tudo sobre o cara e sobre mídias sociais, preparei o roteiro do nosso videocast NOIX Channel e no dia seguinte fui trabalhar e não contei nada ao patrão, queria trazer-lhe uma surpresa, combinei tudo com Washigton e Lahisla (Social Media Managers da NOIX) sobre a estratégia para mais tarde. Fui à UFC (Universidade Federal do Ceará), fiz minha prova de Psicologia e Comunicação, corri para o ponto de ônibus e depois de milênios de espera, o ônibus Circular II resolveu não parar pra mim, parece que quando a gente mais quer que as coisas dêem certo, elas insistem em dar errado...

O tempo passando e o medo de chegar atrasado no dia da minha principal entrevista foi tomando posse de mim como água penetrando em esponja. Alguns minutos depois peguei o ônibus e cheguei são e salvo à InfoBrasil. Encontrei meus companheiros de trabalho e começamos a gravar algumas tomadas do evento enquanto o Marcelo não chegava. Vozes disseram ao fundo “Marcelo chegou!”, “Ele não vai dar entrevista!”, “Marcelo ta abusado!”, “Ele não quer que filme!”, “Não pode bater foto com ele”. Enquanto uns alunos da FIC (Faculdade Integrada do Ceará) que trabalhavam no evento entravam em ebulição, aquelas frases ecoavam na minha cabeça em doses sucessivas, outra voz soltou: “Gente, ele vai dar entrevista sim, mas só pros alunos da FIC!” Neste momento a minha engrenagem parou e após meu processo epifânico, pensei: “agora é questão de vida ou morte.”. Era uma questão de honra entrevistá-lo, não só pela NOIX, não só por ser admirador do seu trabalho, mas por ter sido desafiado, pelo instinto de jornalista que busca o furo.

Sim, penetrei na sala VIP junto com a caravana da FIC, eu era o último espermatozóide buscando o zigoto que me parecia impossível, mas consegui, rompi aquela barreira e fecundei-me na sala onde estava aquela figura com a cabeça lustrada, camisa rosa, jeans, allstar e aspecto cansado. Cerca de 20 pessoas o cercaram e ele falou: "Podem começar". Advinha? Um monte de gente imatura, com aquele medinho bobo de iniciante ficou no zum-zum-zum, mas ninguém começava a entrevista.

A essa altura Washigton, nosso mega cameraman, também havia conseguido entrar no óvulo e ligou a câmera. Inspirei fundo e quando as primeiras palavras saltaram da minha boca as atenções daquela sala voltaram-se para o ser estranho, magro, esguio e de camisa xadrez que habitava aquele ninho sem ter sido convidado: eu. Então Marcelo Tas olhou pra mim e numa fração de segundos seu celular toca, ele pede um minuto e o atende. Eu com a cara de taxo, com sensação de coito interrompido, fiquei esperando ele terminar a ligação para continuar a pergunta pensei: “Não se deixe abater, Danilo, seja firme!” Não brochei, continuei assim que ele desligou e, como bebê em colo de mãe, senti que ali eu estava em terra sagrada, como me sinto em cima dum palco, em solo fértil, era exatamente aquilo que eu quero viver na minha profissão de jornalista daqui pra frente.


A conversa seguiu descontraída, fiz outras perguntas e todos olhavam pra mim, que roubei alguns preciosos minutos destinados aos alunos de Comunicação Social da FIC. Mas, quando olhei pro nosso mega cameraman e vi que ele não havia me filmado fazendo as perguntas eu pensei: “Quem vai acreditar que eu entrevistei Marcelo Tas?” Então quando tudo acabou, como um trombadinha de bom coração, tomei das mãos de Lahisla sua câmera fotográfica e corri seguindo o Marcelo Tas pelos corredores do Sebrae para conseguir uma foto que comprovasse que ele esteve ali, comigo, então eu disse com olhar de cão sem dono: “Marcelo, bate uma foto comigo?”. Me aproximei do seu ombro direito, o segurança tirou bruscamente minha mão de perto dele e quando já ia me empurrar (reveja na imagem a face macabra do segurança que quase me impediu de tirar a foto), consegui o registro, Marcelo Tristão de Athayde Souza parou, compadeceu-se e sorriu. Nada mais seria capaz de me impedir.

Então o Marcelo se foi e eu fiquei ali, parado, com vontade de gritar como Will Smith na última cena de “À Procura da Felicidade”. Corri alvoroçado para a palestra, fui barrado na portaria, mas ali já me sentia invencível, aquilo não era nada, passei por baixo do braço da mulher que barrava a entrada. Ela dizia: “Gente, tá lotado! Gente, não dá mais”. Mas nem ouvi nada, só a voz do Marcelo ao fundo e a salva de palmas vibrando o auditório que estava preenchido pela sua presença. Naquele exato instante, pensei num deslumbramento oportuno, como um herói que salva a pátria: “Obrigado pelas palmas, a Saga Marcelo Tas teve um final feliz!”. Agora é só relaxar e... Marta Suplicy que complete o restante desta frase!

Clique aqui para conhecer o Blog do Tas.
Clique aqui para conhecer o Portal NOIX.


Danilo Castro

27.05.2010

11 comentários:

Andrei Bessa disse...

em tempos de photoshopz eu não acredito em toda fotos que vejo na internet....

uhaeuheauh


mas parabéns, é uma ótima história para se contar ao Jô, quando você for lah....

uhhuuh

O Espelho de Eva disse...

Ahhhhhhh Danilo.... não é mesmo fácil penetrar em esferas que parecem não nos querer, mas que temos a certeza de serem nossos territórios.
Que este desafio, essa saga... não seja única e que possa transpor outras barreiras e que sejam fecundas todas as experiências.
E que cada instante da angústia, transforme-se em um gozo de eterna lembrança e suprema felicidade.
Beijos.

Jéssica disse...

Muito bom, Danilo. Ótimo texto. Me prendeu do começo ao final. Gosto do jeito como você dispõe as palavras, do seu estilo. E parabéns, muita coragem da sua parte!

onde voce tá a estrelinha pra virar fã aqui no blogspot? rs

Muito bom.

Beijo,

Jé Carneiro

Geraldo Brito (Dado) disse...

Legal a sua saga para entrevistar o Marcelo Tas.
Saudações e parabéns pelo blog!

maybe disse...

like your writing style..Please keep on working hard.^^

Alice Sales disse...

Gostei chocolate :)

Phil ou Pil disse...

Nossa! Que história! vc realmente mereceu essa foto! parabens!

Phil ou Pil disse...

Nossa, cara! Que história bacana! Vc realmente mereceu essa foto com o Tas! Parabéns!

Angel disse...

Parabéns pela conquista e parabéns pelo blog, é ótimo!!!

Canteiro Pessoal disse...

Danilo. Saudades de pousar em teu espaço, que sempre me casa perfeitamente em metamorfose.

Que delícia, estás lendo Clarice de Benjamin Moser. Uma leitura fascinante, que palavras faltam para um expressar em excelência.

Abraços ave rara!

Priscila Cáliga

Thiago Ya'agob disse...

Danilo: que história!

Parabéns, rapaz!

Estou felicíssimo por essa sua conquista, e sei que outras te povoarão.

Abraços.