sábado, 12 de março de 2011

Voltas

“Você tenta construir um mundo
E luta para consegui-lo
Chora, ri, corre, cansa e luta
O seu mundo no mundo se perde.
Você procura, encontra, agarra e solta
Começa tudo outra vez...”

Maria das Graças Castro
22.11.1976

13 comentários:

Paulo Sousa disse...

Por uma parte isso é verdade.


http://mysoundbr.blogspot.com/

Thiago Ya'agob disse...

Lembrei (instantâneamente) de um texto familia a nós enquanto lia essa citação que você postou, Danilo. Vamos a ele?

"A Felicidade está mais na busca do que na própria realização. Quando se realiza um sonho, outros mil aparecem, tudo é um ciclo quase vicioso. Melhor morrer do que viver sem ter o que buscar."

[Danilo Castro]


Ciclo quase vicioso.


Meu abraço, querido: uma semana com paz.

Danilo Castro disse...

É bom ver que o tempo pode passar, mas em essência, ainda somos sensíveis e idealistas. Boa a recordação.

Gorette Castro disse...

Dandan, mais uma vez vc consegue me arrancar lágrimas. Fico profundamente emocionada e orgulhosa por vc publicar um texto que ficou por tantos anos esquecido dentro de um livro de folhas já amareladas, sua tia Dá deve estar feliz em algum lugar qualquer.Em merecidas mãos foram parar seus textos, tão pouco valorizados na época em que foram escritos.Alguém tinha que herdar dela essa sensilbilidade pelas artes, que bom que foi vc. Bjs.

Aline disse...

Danilooooooo
Maria das Graças era artista?
incrível sensibilidade...

saudade de vc!

bj

Danilo Castro disse...

Aline, o que diz que alguém é artista? É o profissionalismo? É a divulgação daquilo que ele cria? Sei lá... Minha tia escrevia talvez só pra si, mas sem saber que poderia servir pra alguém. Mas era sensível, muito sensível. Queria ter conhecido-a.

Beijo, Aline, saudade!

Canteiro Pessoal disse...

Danilo, brilhante este trecho: O seu mundo no mundo se perde. 'Tudo que é sólido se desmancha no ar'. Realmente, é o ciclo da vida, começos, recomeços, começos... até o dia do decreto final - morte.

Por esses dias em diálogos com um ser fenomenal, através das partilhas que rasgam as entranhas, o quanto buscas e encontros são sucetíveis na abertura da porta e residir à casa, perdas assumindo papel e definha-se o revelado, por tamanho medo que abate - os sujeitos esquivam-se, e se torna predominante o pensar amplo, que faz à conquista se evaporar.

Abraços

Priscila Cáliga

Luciana Castro disse...

Concordo com a Dette, ainda bem que existe alguém (de tão grandioso talento) que possa resgatar o que foi dito há tanto tempo por uma pessoa tão querida. Parabéns Dan! =*

Nascente disse...

Danilo,

Está tudo tão ampla e profundamente dito, que só me resta transcrever uma citação de Sartre às sábias e sensíveis palavras da sua tia.

"A vida é o pânico num teatro sem chamas."

Beijo,
Inês

Dois Rios disse...

Danilo,

Não percebi que estava logada à minha conta particular quando publiquei o comentário acima. Mil desculpas!

Beijos,
I.

Polyjomasi disse...

eita.. saudade de blog.. rsrs é isso aí.. voltas né aqui estou eu de novo...

Danilo Castro disse...

Valeu, Poly... Reative seu blog e passe por aqui mais vezes!

Larissa Cândido disse...

Perfeito.