sábado, 24 de março de 2012

Beleza independente!

O Miss Surda Brasil, evento inédito no País, vai eleger hoje em Fortaleza a surda mais bonita da nação para participar do concurso internacional Miss Deaf World

Danilo Castro - ESPECIAL PARA O POVO
danilocastro@opovo.com.br



Após conquistar segundo lugar no Miss Brasil 2008, a cearense Vanessa Vidal, abriu as portas para uma série de eventos de beleza. Surda, ela aproveitou a visibilidade que ganhou, para lutar ainda mais pelos direitos das pessoas com deficiência. Depois veio o Miss Beleza Internacional, na China, e o Miss Deaf World, que aconteceu no ano passado, na República Tcheca. Vanessa não venceu o concurso, mas recebeu o convite da organização para encabeçar o Miss Surda Brasil, que tem sua primeira edição hoje, no Ideal Clube.

Em sua autobiografia, a modelo de 28 anos conta que, quando ganhou o concurso de rainha do colégio, ainda na adolescência, percebeu que através da beleza poderia se tornar um referencial. “Quando fui convidada para concorrer no Miss Deaf World, o Josef Uhlir (organizador geral) já observava minha liderança e me convidou para coordenar no meu País. Fechei parceria até 2020”, comemora Vanessa, que, pela primeira vez, não contou com intérprete em uma entrevista, já que o repórter é fluente em Língua Brasileira de Sinais (Libras).

A missão agora é escolher a surda mais bonita do Brasil, que viajará para Europa ainda este ano. Vanessa explica que as 15 meninas foram selecionadas de diversos estados brasileiros, mas teve dificuldades. “As mães das participantes não acreditavam quando as filhas eram selecionadas. Os surdos acabam tendo muita dependência. A Diná (interprete) ligava para as famílias e as convenciam. As filhas querem, são lindas, mas algumas mães não deixaram”, lamenta, frisando que os surdos precisam de independência. “Começamos agora, mas a ideia é aumentar para os 27 estados”.

Elas também podem sonhar alto

Foi a primeira vez que a modelo foi entrevistada em Libras
Vanessa, graduada em Letras Libras pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e professora de Letras Libras da Universidade Estadual do Ceará (Uece), coordena o evento ao lado de 14 surdos. Ela conta que não é só um ato político, pois o fotógrafo, a estilista, a web designer e os outros organizadores são capacitados em suas respectivas áreas. “Queremos mostrar que somos profissionais e podemos organizar um evento desse porte”, disse.

Outro diferencial é que as concorrentes não são avaliadas só pela beleza e as típicas perguntas de conhecimentos gerais, pois elas também têm oportunidade de mostrar seus dotes artísticos. “Elas fazem apresentações de teatro, de dança. A gente avalia a expressão das meninas”, explica. Agora, surdas de todo o País podem sim sonhar em serem misses, modelos, atrizes e até mesmo apresentadoras, como qualquer outra adolescente. “Não é beleza, é direito à inclusão. Todos têm direito à cidadania, surdos e ouvintes”, concluiu.

Serviço

Miss Surda Brasil
Onde: Ideal Clube 
(Av. Monsenhor Tabosa, 1381 – Meireles), hoje, às 20h.
Ingresso: Plateia R$ 25 e VIP R$ 35. 
Outras info.: (88) 8801 5258 e www.misssurdabrasil.com.br

Matéria publicada no caderno Buchicho - Jornal O POVO (24/03/2012)

4 comentários:

Henrique Delgado disse...

até hoje, tudo que sei sobre libras foram das aulinhas que tinha com vc e o Davi! = D Show Danilão, sucesso meu parcero!

Luizete Vicente disse...

Parabéns meu nego!! Essas são histórias de superação.

Leir Pontes disse...

Meu querido, muito feliz em saber que vc é um dos que acreditam em inclusão, mas com atitude.

Amanda Alboino disse...

Muito bom Danilo! Parabéns!