domingo, 4 de março de 2012

Senta que lá vem a história


Daqui há alguns dias, meu blog faz aniversário de seis anos. Nunca soube direito o porquê de ter criado um. De lá até aqui, muita coisa mudou, isso porque eu também mudei bastante e esse espaço (onde também aproveito para divulgar meus trabalhos) às vezes é um depósito de aporias minhas e reflete muito quem sou, mas quero fazer dele cada vez mais um espaço para diálogos teatrais. Com layout inédito, desenvolvido pelo chargista meio jornalista O Carlitos, a ideia agora inaugurar de vez uma nova fase e oficializar mais ainda este lugar, para que seja meu, seu, das artes. 

Comecei escrevendo coisas dispersas (basta olhar meus primeiros posts), depois passei a escrever muitos contos e crônicas bastante intimistas, daí colhi alguns amigos de outros estados que são seguidores fiéis. Hoje estou escrevendo essencialmente sobre teatro, sobre os espetáculos locais e nacionais. Aqui-acolá me arrisco escrevendo sobre cinema ou dança, mas estes últimos, bem despretensiosamente. Com o teatro, devido à minha paixão e formação, resolvi “sistematizar” impressões, provocar, refletir como um espectador ativo e pensante (e não como um teórico cristalizador). 

Criticar é tarefa árdua, principalmente porque o criticado pode não receber bem tais reflexões, talvez por alguma vaidade ou por me acharem muito pretensioso. Discordar do que escrevo é completamente possível e muitas vezes necessário para enriquecer o debate. Também estou aqui para aprender. Em nenhum momento pretendo criticar com base em pessoalismos, versar sobre o que é certo e errado ou o que pode e não pode numa obra. Aí sim estaria fazendo a coisa errada. O meu maior intuito é fomentar discussões, porque teatro é sempre um processo, é algo mutante, disponível a novos olhares que podem ser insights para mudanças. 

É muito bom também ter o retorno daquilo que escrevo a título de diálogo, aprendizagem para mim e para os que leem. Acredito no teatro para além da cena, preenchendo outros espaços não só midiáticos, mas educativos, sem pieguismos, claro. Arte é feita para pensarmos, que tal colaborarmos todos com essas impressões e pensarmos juntos? Façam bom proveito, comentem, discordem, elogiem e critiquem.

5 comentários:

Bruno Lobo disse...

ficou lindo o espaço danilo. e a beleza não está só no layout, está além da arte gráfica relativo à gravura mas à arte gráfica da sua grafia, do desenho da sua escrita que a cada dia vai ganhando um contorno mais definido, sombreamento, profundida e todas as suas cores.
à vc mais olhares, trocas, rabiscos e brancos a serem preenchidos!

Thiago Cavalcante disse...

Oi Danilo.

É isso aê rapaz! Gostei muito da nova roupagem do seu blog. Renovação, sempre.

O Bruno, que me antecedeu, 'falou e disse tudo': ".. e a beleza não está só no layout, está além da arte gráfica relativo à gravura mas à arte gráfica da sua grafia..."

Quero continuar a aprender um pouco mais de teatro contigo, com todos os meus amigos atores.

Deixo um fragmento do livro Cacos para um Vitral, de Adélia Prado, que diz:

"Queria escrever um teatro, cujo personagem (cujo é hilariante) fosse uma palhaça, não palhaça de circo, mas palhaça de verdade, um teatro pra conseguir a compaixão de Deus pro ser humano."


Meu abraço, querido. E novas letras para nós, sempre: com paz.

Danilo Castro disse...

Thiago, Bruno, obrigado pelas palavras. São um incentivo grande. Vamos discutir! É isso aí!

Andrei Bessa disse...

Dan,

muita força e energia nesse caminho árduo de se expor para o mundo. Não é fácil. Muito mais simples se prender numa redoma e deixar a vida acontecer lá fora. Mas que graça tem em ficar enclausurado? Te admiro. Que venham muito mais. Que você mude esses espaço mais vezes - pois só não muda o que está morto.

abraços

Regis Torquato disse...

Boa, Danilo.
Gostei demais.
De tudo.