quarta-feira, 9 de maio de 2012

O teatro e sua prole


Para reunir alunos e ex-alunos do Curso Princípios Básicos de Teatro, do Theatro José de Alencar, o projeto Religare vai apresentar diversos espetáculos que compõem os 21 anos de trajetória do maior curso de iniciação teatral do Ceará

Danilo Castro - ESPECIAL PARA O POVO
danilocastro@opovo.com.br

Solo do ator Gabriel Matos, o espetáculo Azulejo Branco
é um dos destaques da programação
Unidos, somos mais fortes. A expressão pode parecer usual, mas é a síntese das duas décadas de história que compõem o Curso Princípios Básicos de Teatro (CPBT), do Theatro José de Alencar (TJA), que se iniciou em 1991, após a grande restauração que criou o espaço anexo, com o Teatro Morro do Ouro, o pátio e as salas de ensaio. Mas antes disso, a semente dessa grande trama já havia criado raízes. Em 1986, ainda no formato de oficinas despretensiosas, Joca Andrade e Paulo Ess, remanescentes do Curso de Artes Dramáticas da UFC, foram convidados pela administração do TJA a compartilhar aquilo que vinham aprendendo sobre teatro.

Mal sabiam os dois artistas que aquelas pequenas oficinas para a comunidade, com carga horária de 20 a 40 horas, iriam se transformar num curso sólido de 200 horas, que já formou mais de seis mil profissionais nas várias áreas do teatro. Para reencontrar os personagens importantes que compõem esse enredo, surgiu o Religare, projeto que comemora os vinte anos ininterruptos do curso de formação do TJA. O projeto, financiado pelo Ministério da Cultura, deveria ter sido executado no ano passado. Na verdade, são 21 anos de jornada, mas pela demora na liberação da verba, o projeto foi adiado para 2012. O que importa é que sempre haverá tempo para festejar os elos construídos até aqui.

Diversos espetáculos de alunos e ex-alunos do curso, além de oficinas, compõem a programação. Joca, que compara sua fala sobre CPBT a uma mãe que fala do filho, conta sobre renovação constante que o curso promove. Algo característico das artes cênicas, que estão sempre em processo de transformação. “Era um projeto muito primário, mas sempre foi um processo vivo, a gente vai experimentando vivências, se alimentado, é uma proposta construtivista”, ressalta. O solo Porão, da atriz Ana Georgina Castro, e o espetáculo É Carona, da Em2 Cia. De Dança, dão início à programação que seguirá no decorrer do ano.

Paulo Ess, que divide a coordenação geral do projeto ao lado de Joca, não esconde a satisfação em saber que protagonizou muitas etapas nas várias fases do curso. “Eu me sinto super importante, não pela vaidade, mas pela contribuição que eu estou dando para o Ceará ao esclarecer às pessoas sobre teatro, cidadania. É uma relação humana nesse jogo do curso. Eu me sinto feliz pela fundamental contribuição nessas histórias e útil dentro da sociedade que pertenço”, disse, ressaltando que o curso forma artistas não para a fama, mas o trabalho profissional, como qualquer outra profissão.

São 48 espetáculos evocando a comemoração. A intenção é fortificar, entre as várias gerações, os laços criados nas salas de ensaio. “Queremos voltar a ligar, cruzar rizomas, criar correntes entre as pessoas que acreditam nas mesmas coisas. Estamos voltando a lugares, conceitos, sonhos. Estamos compartilhando o que é comum, reunindo pessoas que têm vontade de viver esses sonhos. Queremos trazer ex-alunos que continuam fazendo arte, continuam sendo perpetuadores de experiências teatrais”, explica Joca, cheio de orgulho da jornada que ajudou a construir.

Várias gerações

Não são poucos os causos que já se entranharam entre as paredes centenárias do TJA. Os camarins, o jardim, o pátio, o foyer, o porão, as coxias e tantos outros lugares, que acolheram os alunos, são repletos de lembranças entre aqueles que se tornaram artistas profissionais e continuam firmes nas labutas iniciadas no curso. Juliana Veras foi aluna do CPBT e hoje, além de atriz e diretora, é professora da sua 3ª turma. “É muito gratificante essa sensação, é como se eu pudesse retribuir. Foram meus primeiros passos dentro do teatro profissional, foi o início de tudo. Para onde eu vou, levo um pouco do Princípios. É gratificante fazer parte dessa história”, frisa.

Tércio Brilhante, 33, é atual aluno do CPBT. Ele se prepara para entrar em cena pela primeira vez no espetáculo Tatilio, uma travessia, dirigido por Juliana e previsto para estrear dia 10 de julho. “Nunca tinha feito teatro, é uma descoberta interessante. Eu sempre fui ligado à literatura, mas o encontro com o teatro foi uma descoberta. A peça de formação é feita coletivamente, são nossos anseios, nossas experiências e então parimos”. O aluno já traça os planos para seu futuro, almejando aquilo que o curso mais deseja, solidificar cada vez mais o teatro cearense. “Não vou me afastar do teatro de forma alguma, é comum que as turmas se juntem e formem um grupo”, garante.

SERVIÇO

Religare
O quê: Mostra comemorativa dos 20 anos do Curso Princípios Básicos de Teatro
Quando: Hoje, 9, às 19h
Onde: Theatro José de Alencar (Rua Liberato Barroso, 525 – Centro)
Programação gratuita
Outras info.: 3101 2583

Fonte: Vida & Arte - Jornal O POVO (09/05/2012)

Nenhum comentário: