domingo, 3 de junho de 2012

Brincando de ser Mury

Releitura de O Mestiço, de Cândido Portinari
Há pouco tempo, o ator e diretor Silvero Pereira e As Travestidas foram alvo de críticas desnecessárias devido ao Translendário. Por um sacralismo bobo, o trabalho do artista foi completamente desmerecido, rechaçado,  analisado fora de contexto, como se a real intenção de Silvero fosse ofender os "valores cristãos". O calendário reproduz imagens clássicas das artes plásticas e da fotografia no mundo, e traz atores transformistas como protagonistas nas cenas retratadas. Devido ao fato de algumas imagens serem taxadas como "religiosas", releituras como A Última Ceia, de Leonardo Da Vinci, foram alvo de uma polêmica descabida. O pior já passou e, apesar de rebuliço todo, o trabalho ganhou mais visibilidade e a pauta do universo trans veio à tona nacionalmente mais uma vez.
Releitura de A Última Ceia, de Leonardo Da Vinci
Apesar das pressas, o jornalismo nos faz o tempo todo aprender coisas novas. Após publicar uma matéria sobre o assunto no O POVO, acabei conhecendo o trabalho de dois artistas visuais que trabalham fazendo releituras. A portuguesa Ângela Berlinde, que entrevistei, e o brasileiro Alexandre Mury. Como a própria Ângela falou, "a arte, se é limitada, deixa de ser arte. Ponderar a sua castração significa anulá-la". Outro exemplo bom para pensarmos foi a censura imposta a Alexandre. Ele foi bloqueado pelo Facebook por ter feito uma releitura do quadro Abaporu, de Tarsila do Amaral. A imagem abaixo foi considerada ofensiva, violando a declaração de direitos da rede social.

Releitura de Abaporu, de Tarsila do Amaral, por Alexandre Mury
Nesta tarde de domingo, com uma câmera simples, resolvi brincar de ser Mury e tentar reler a obra O Mestiço, de Cândido Portinari. Tudo bem, o resultado não ficou dos melhores, mas a tentativa valeu a pena para esse post e para que mais pessoas conheçam o trabalho desses três grandes artistas: Alexandre, Silvero e Ângela.

Danilo Castro
03/06/2012

2 comentários:

Andrei Bessa disse...

quando uma obra vai além do que se vê, ela passa a ser valorizada.... e tem muita intenção aí.... :)

Alexandre Mury disse...

rs... o cenário está sensacional!!! Adorei!!!