quarta-feira, 13 de junho de 2012

A encenação dos nossos hermanos


Para intercambiar saberes cênicos, o projeto Conexões Latinas recebe no TJA, hoje e amanhã, os espetáculos Dolor Exquisito e Pieza para Pequeño Efecto, referências da cena contemporânea argentina
















Danilo Castro - ESPECIAL PARA O POVO

A cena argentina tem se tornado cada vez mais referência para a encenação contemporânea no mundo. Hoje e amanhã, o palco do Theatro José de Alencar (TJA) ganha ares argentinos através da dança e do teatro independentes. Os espetáculos Dolor Exquisito e Pieza para Pequeño Efecto, se apresentam dando continuidade ao projeto Conexões Latinas: Mostra Latino-Americana de Artes, que está em sua segunda edição. A ideia é intercambiar produções, colocando um pouco do Brasil na Argentina e vice-versa. O projeto é uma realização da Quitanda das Artes em parceria com o TJA.

Ambos os trabalhos não fazem parte do repertório de grupos específicos, mas de coletivos de artistas independentes que confluíram ideais comuns e montaram as produções. No espetáculo de logo mais, dirigido por Emilio García Wehbi, a intérprete Maricel Alvarez dá vida aos dilemas da autora francesa Sophie Calle, que se desnudou numa dramaturgia que conta momentos chaves de uma dolorosa separação. O que acontece entre a futilidade e a lágrima? A resposta virá por intermédio da personagem-âncora, que deixou para trás, em nome de uma oportunidade de estudos, o “amor de sua vida”, mas quando ela volta, ele a abandona.

O dilema aparentemente banal ganha dimensões maiores e o vigor da obra é construído devido também às histórias de vida do diretor e da atriz, que se entranham ao enredo, encorpando suas experiências pessoais à trama de Sophie. Com isso, o trabalho mistura referências ficcionais e da realidade. Emílio e Maricel, apesar de não serem um grupo, são colaboradores em trabalhos compartilhados há mais de dez anos, transitando pelo teatro, ópera, dança, performance, instalação, intervenção urbana e também docência.




















Outro trabalho premiado na cena latina promete brincar com a percepção do espectador, amanhã, 15. Quem ganha o palco do TJA é o espetáculo Pieza para Pequeño Efecto, dirigido por Fabian Gandini. Segundo ele, que está em cena ao lado de German Cunese, há na obra a intenção de investigar os níveis de representação e apresentação vivenciados pelos próprios atores. “Aquele que mostra sempre esconde algo”, ressalta, explicando que por trás do que é exposto, há sempre um íntimo a ser desvendado. E é justamente neste ponto que se estabelece uma proximidade a mais com o público, que está aberto a desvendá-los.

O espetáculo, que estreou em novembro de 2009, também utiliza projeções ao vivo de cenas construídas com pequenos objetos. Outra característica que dá identidade à obra é que o movimento da dança proposta se estende para além dos próprios corpos dos intérpretes. “O que importa não é ver o movimento, mas como ele se desenvolve”, diz Fabian. O espetáculo pretende brincar com o vai e vem na ideia de temporalidade. “Conjugamos, em uma mesma cena, passado e presente ou futuro”, explica. O projeto Conexões Latinas também prevê ações formativas e apresentações de trabalhos de artistas brasileiros em Buenos Aires.

Dica de quem sabe

Gyl Giffony, ator
O atual teatro argentino chama atenção por seus muitos nomes e diferentes experimentações em dramaturgia e encenação. Em Buenos Aires, uma das experiências mais interessantes são as montagens de Viviana Tellas e seus procedimentos de “biodrama”, que colocam em cena biografias tanto de atores como não-atores, por vezes seus próprios familiares, jogando com as fronteiras do real e do ficcional. Com trabalhos como Mi mamá e mi tia e Mi vida después, a diretora tem influenciado muitas montagens não só na Argentina, mas também em outros países.

Daniel Veronese é outro nome de destaque, muitos de seus textos vêm sendo encenados no Brasil, a exemplo de Women’s, do Grupo (E)xperiência Subterrânea/Florianópolis, Mulheres Sonhavam Cavalos, direção de Ivan Sugahara/Rio de Janeiro. Daniel também é colaborador na próxima montagem do Grupo Espanca!, de Belo Horizonte. Dramaturgo e diretor, ele possui um inquieto e ousado pensamento sobre o teatro e suas convenções.

Na cena de grupos teatrais independentes, o Timbre 4 tem conseguido ressoar não somente na Argentina, mas também em festivais internacionais. Parte desta projeção deve-se a sua organização interna, bem como ao espetáculo Tercer Cuerpo que chega a Fortaleza nos próximos dias, dentro da programação do Zona de Transição, no Theatro José de Alencar.


SERVIÇO 

Dolor Exquisito
Quando: Hoje, 19h e 21h, no Theatro José de Alencar (Rua Liberato Barroso, 525- Centro)
100 lugares por sessão
O que: Pieza para Pequeño Efecto
Quando: Amanhã, 14, 20h, no Theatro José de Alencar
Entrada Franca
Outras info.: 3235 4063

Fonte do "Dica de quem sabe": Jornal O POVO - Vida & Arte (13/06)

Nenhum comentário: