segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Os aporrinhadores da cena cearense em 2012

Sempre fui de criticar listinhas de melhores do ano. Penso que elas muitas vezes simplesmente mercantilizam as obras, minimizando-as à condição de boas produções para serem apreciadas. Mais me interessa a reflexão sobre elas. A crítica formativa, sem dúvidas, enriquece mais que a taxativa. E listar também é taxar, legitimar. Refletir contribui muito mais para a própria obra e para o público do que atestar o que seria bom ou ruim. 

Sim, qualquer um pode achar algo bom ou ruim - inclusive eu. Mas meu olhar de público se difere do meu olhar de crítico. Porque, como crítico, tento sair do impressionismo pessoalista. É tênue e difícil. Como vou analisar algo sem minha percepção subjetiva? Entretanto, sair da zona do gosto é um princípio que pode parecer utópico, mas é possível. Afora minha ideologia sobre a crítica de arte, me renuncio a afirmar que as listinhas também são uma forma de reconhecimento e podem ser lançadas com um olhar propositor - pelo menos é o que tentarei fazer. 

Durante todo o ano, acompanhei bastante da cena local e, com intuito de incentivar os trabalhos que assisti, destaco aqui os que mais me aporrinharam – não os melhores. Tento então cumprir a difícil missão de me distanciar das minhas preferências pessoais para eleger aqueles espetáculos que foram de grande contribuição para a cena cearense em 2012. 

Claro, não assisti tudo que estreou em Fortaleza durante este ano, mas esse é um panorama genérico que pode, de alguma forma, refletir um pouco de nossas especificidades cênicas. Levei em consideração principalmente as propostas estéticas, dramatúrgicas e a qualidade técnica dos trabalhos apresentados. A lista traz espetáculos de gêneros diversos, não necessariamente de teatro. Além disso, não há ordem hierárquica.

Danilo Castro
31/12/2012

Os espetáculos abaixo estão linkados com as respectivas críticas ou matérias que publiquei ao longo do ano:

Um lugar para ficar em pé – espetáculo da primeira turma do curso de Licenciatura em Teatro da Universidade Federal do Ceará (UFC), direção de Hector Briones. (Crítica)


Público – Grupo 13º Ato - espetáculo de conclusão do curso de Licenciatura em Teatro do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), com direção de Tomaz de Aquino - (Crítica)


Leonce e Lena – Grupo Teatro Máquina, com direção de Fran Teixeira. (Matéria - Crítica)
















Corpornô – exercício da Cia. Dita, que resultará no espetáculo homônimo com direção de Fauller.
















Metrópole –  Inquieta Cia. de Teatro, com direção de Gyl Giffony. (Crítica)
















Verônica Decide Morrer, banda de rock encabeçada por Jomar Carramanhos (Crítica)
















Sakura, o Jardim das cerejeiras – espetáculo do grupo Teatro Mimo, com direção de Tomaz de Aquino. (Matéria)


















Uma de Duas: A vida comum de Lucilady – Direção de Yuri Yamamoto. (Crítica - Matéria)


O Despertar da Primavera - Grupo Múltiplos NEPT, com direção de Manuela Elias (Ponto de Vista)


Na Corda Bamba - Direção de Allan Duvale. (Matéria)




3 comentários:

Lucas Martins disse...

Assim como você não é de acordo com listinhas de melhores do ano, não prezo pelo elogio exclusivo ao artista. Mas Público e Sakura, o Jardim das cerejeiras foram realmente incríveis! E por consequente, ambos dirigidos por Tomas de Aquino. Logo, ele foi o artista que mais me "aporrinhou" em 2012.

Belíssimas críticas! Parabéns Danilo!

Danilo Castro disse...

Lucas, sempre digo e repito que Tomaz é um dos grandes nomes da nova geração do teatro cearense. A dedicação e o estudo são refletidos na consistência dos seus trabalhos. =]

Yuri Yamamoto disse...

Que venham mais produções e que você continue com seu olhar e seus textos ótimos. Grande abraço Danilo Castro, felíz 2013!