quarta-feira, 21 de junho de 2017

Tribuna do Cretino contra os cretinos das Artes Cênicas no Pará













A história da crítica de Artes Cênicas no Brasil, ainda focada no eixo Rio-São Paulo, vem sendo cada vez mais escrita por outros ângulos. Quem nos colocou à margem? Quem nos deu o rótulo de periferia? Tudo é uma questão de perspectiva. Conheça a Tribuna do Cretino, revista produzida produzida pelo Instituto de Ciências da Arte da Universidade Federal do Pará (UFPA), com críticas de espetáculos  paraenses.

Em julho de 2013, no em Belém, surgiu a Tribuna do Cretino: Revista de Crítica em Teatro e Dança, como uma iniciativa do crítico Edson Fernando. Em 2014, o espaço se tornou um projeto de extensão vinculado à UFPA. Desde então, são publicados semestralmente 300 exemplares impressos da revista, reunindo críticas selecionadas, via chamada pública, acerca das produções cênicas no estado. A tiragem é distribuída entre os autores e autoras das críticas, os/as artistas criticados/as, redações de jornais e bibliotecas em Belém, além de ser enviada para ós/as responsáveis por outras iniciativas de críticas no Brasil e de ser divulgada no blog e nas redes sociais.

Redações tradicionais defasadas

A força motriz dessa iniciativa, segundo o editorial do exemplar de estreia, aconteceu devido à insatisfação com os jornais locais.  “Atualmente, os poucos cadernos jornalísticos destinados à produção artística limitam-se à mera divulgação de informações e serviços, e não raro, reproduzem cópias dos releases enviados por e-mail”. Edson da faz sua atividade crítica um ofício artístico-acadêmico. “Considero a crítica uma contra-tradução da obra criticada e, neste sentido, livre para articular o seu discurso com elementos híbridos: poética, estética, teorias, ideias, imagens, sonoridades, epistemologia”.

Autocrítica, avante!

A Tribuna do Cretino é uma ironia. Seria, na verdade, uma "Tribuna Anti-cretino" ou "Tribuna Contra-cretino", que busca, por meio da reflexão crítica, fugir da arrogância que muitos críticos e críticas exalam ao falar de espetáculos com julgamentos "pessoalistas", hierárquicos e detentores do saber.

Pesquisa mapeia críticos/as de Artes Cênicas no Brasil

Se você escreve/escreveu críticas de teatro, dança, circo, performance e/ou outras linguagens cênicas, você pode ajudar. Preparei um questionário para obter dados quantitativos e qualitativos sobre os críticos e críticas de Artes Cênicas no Brasil. As informações mapeadas vão ser trabalhadas em âmbito acadêmico (PPG-Artes Cênicas/UnB) na construção de uma memória para a história da crítica de Artes Cênicas contemporânea. Se conhece algum crítico ou crítica da área, você pode ajudar a promover essa pesquisa também. 



Nenhum comentário: